terça-feira, 24 de junho de 2014

De repente, devaneio...


 E se, pudesse fazer o tempo não andar 
não falar, não gritar
Calar

E se ainda assim eu pudesse
ver, sentir, traduzir
Sorrir

Nenhum choro seria
pouco, muito,  misto
Insisto

e,


Não mais  importaria
a forma, a cor,  a dor,

Amor

terça-feira, 27 de maio de 2014

Aquecendo a alma



ਯਾਦ ਤੂੰ ਮੈਨੂੰ ਦਿੱਤੀ ਹੈ, 

ਮੇਰੇ ਵਰਗਾ ਕੋਈ ਵਿਅਕਤੀ ਦੀ ਪੂਰੀ ਇਤਿਹਾਸ ਨੂੰ ਵੱਧ ਡੱਲਾਸ ਹੋਰ 
ਮੈਨੂੰ ਤੁਹਾਡੇ ਚੁੰਮੀ ਯਾਦ ਹੈ, 
ਮੈਨੂੰ ਕੀ ਹੋਇਆ ਸੋਚਦੇ, 
ਮੈਨੂੰ ਹੈ ਕਿ ਕਦਰ ਕਰਦੇ ਹਨ.


(texto não é meu, desconheço autor)

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Picadeiro

                                                                       Moça do pó de arroz
quanto tempo fica  na frente do espelho?
Que tanto toca, retoca e distroca?

Linda maravilhosa perfeita
o que fará se com esmalte  borrar a mão direita?


Se o terno não lhe cai bem
passa a gola até ajeitar
lustra os sapatos
alisa o cabelo e olha
de cima, com desdém

   


De certo lhe deram educação
ser igual a capa revista
que triste
passar a vida sendo  artista

Mas se acanhe não, é pura inveja
da malabarista!!!








quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Carnificina no açougue da esquina ...





Comprava carne no super mercado, mas estava difícil ficar esperando na fila e as pré embaladas perderem muito da qualidade. Resolvi experimentar a entrega de um açougue aqui no bairro.As carnes vieram  muito boas, embaladas nas porções que pedi, sem gordura, sem pelanca enfim,
um primor.


Semana seguinte pedi de novo, vieram perfeitas .

Seguiram-se algumas semanas, até que um dia liguei e pedi para falar com a pessoa que me atende, a moça me disse que ele não estava, mas que podia fazer o pedido com ela, como estava sem tempo pedi para que ela repetisse o pedido da semana anterior.


Bom, a encomenda que veio parecia de outro lugar, pacotes de carnes amontoados, bifes de contra filé que eram tudo menos contra filé, carne   moída  cheias de gorduras, nervuras... um caos.


Eu e minha secretária fizemos uns malabarismos e usamos as carnes,. Essa semana liguei de novo e pedi para falar com a pessoa que me atendia antes, a moça falou que ele não estava,  expliquei  o que aconteceu e que preferia fazer o pedido com ele, ela secamente me respondeu que qualquer um deles podia anotar o meu pedido, que a carne seria a mesma....

Nesse caso agradeci, desliguei e fiz encomenda em outro lugar que haviam me indicado.

terça-feira, 10 de setembro de 2013

Montou o circo e rejeitou o pão...


No estacionamento do supermercado, guardando as compras, surge um rapaz não sei de onde e muito gentil me deseja bom dia.

 Depois me explica que acabara de sair de uma casa de recuperação contra drogas e pede um trocado para comprar comida.

Parei por um momento e lhe disse que não tinha dinheiro, mas se quisesse algo para comer lhe daria um dos pacotes de pães havia comprado.

Fez cara feia e disse que não ia aceitar, porque não gostava daquele pão, e se pegasse jogaria fora.

Cada um  que aparece.Exigente.Fiquei com cara de palhaço.

Ao menos foi honesto e as meninas ficaram com seus pães garantidos para semana.






sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Não existe moral na história



Ninguém podia olhar para Zigfredo, tudo lhe era recebido como uma afronta, falar então... era preciso medir as palavras, isso sem falar que de vez em quando entendia só o queriar,  uma pessoa difícil, sem dúvida.

Por aqueles tempos  estava sentindo-se ainda mais  vitimizado(?).

O excesso de trabalho estava lhe tirando o bom humo(qual?). Enfim, pintou e bordou na vida, nunca teve limites, embora adorasse controlar a vida alheia, agora sentia-se cada vez mais sozinho e irritado, o que deixava mulheres em fase de climatério e TPM serem dignas do prêmio Nobel da paz.


Nadava contra a maré e naquele dia em especial resolveu confrontar com o guarda de trânsito sobre uma multa que não considerava justa, afinal, o que tem de errado estacionar na faixa de pedestre e ficar falando ao celular?


Gritou, esperneou, quase foi preso por desacato, mas não teve jeito, foi multado.


Saiu dali querendo brigar com todos, achava aquilo uma  tremenda  injustiça. Ligou para um daqueles repórteres sensacionalistas que adoram mostrar sangue no horário de almoço. Foi prontamente atendido, sem conhecer direito a história o cara colocou a boca no trombone e saiu criticando o guarda, o sistema viário da cidade que não favorecia ao cidadão honesto e trabalhador...blá, blá,blá.


Incomodado com a repercussão do caso, o Tenente coronel quis saber o que havia acontecido, mas antes de tudo, pegou a CNH do dito cujo e fez uma breve pesquisa no Detran da cidade. Descobriu que Zigfredo estava com a carteira cassada Há muito tempo e não tinha entregue ainda.


Só não pode dizer isso e defender a corporação  no programa sensacionalista, porque seu soldado também cometeu o erro de liberar a pessoa sem verificar essa questão.


Todos viveram felizes para sempre, até o dia em que ambos velhos e doentes precisavam usar a faixa de pedestres  e quase eram atropelados pela geração irresponsável que educaram(?).


sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Poema incompleto








Seus olhos fixados em mim
Esperam por uma reação
Onde não cabem mais palavras
Plantamos um jardim.

Nesse silêncio
Ouço os batimentos do seu coração
Tão perto, tão meu

intocável, 

Querubim